quarta-feira, 20 de março de 2019

Orcas desaparecendo do Pacífico: você sabia?

Fonte: Mark Carwardine
As orcas (Orcinos orca) são grandes mamíferos marinhos popularizadas pelos shows em parques aquáticos e aquários ao redor do mundo. Algum tempo atrás, um documentário sobre orcas em cativeiro trouxe a luz os problemas de se capturar, transportar e manter esses grandes animais. Isso praticamente fechou alguns dos shows mais famosos do mundo.

Fonte: Mark Carwardine
Mas longe dos olhos de todo mundo, as orcas estão em eminente risco de simplesmente desaparecer. No Nordeste do Pacífico a população atingiu o menor número de indivíduos já registrado nos últimos 30 anos. Apenas 74 animais ocupam essa área agora. Mais alarmante ainda é que nos últimos três anos nenhum nascimento foi registrado.

Uma orca não é uma baleia, mas na verdade um parente próximo dos golfinhos. Elas vivem em águas frias ao redor do mundo. Por alimentarem-se de filhotes de focas e outros animais, acabaram recebendo o apelido de baleia assassina. Apesar de haver alguns registros de acidentes com orcas em cativeiro não existe registro de acidentes com esses animais quando soltos na natureza. Isso permite que em algumas partes do mundo você possa mergulhar com esses animais fantásticos.

É possível mergulhar (mergulho livre) com orcas na Noruega, em um local de pesca desses animais. De acordo com mergulhadores da região é totalmente seguro porque as orcas são muito precisas e parecem saber o que estão fazendo enquanto nadam e pescam. Ou seja, elas não vão nem te atacar nem se jogar por engano em cima dos mergulhadores. 
Fonte: Mark Carwardine

Estudos têm sido feitos para preservar a diversidade genética desses animais. Se quiser saber mais clique aqui. Mas as causas do desaparecimento ainda não são claras. Poluição, mudanças climáticas, sobrepesca que teria afetado toda a teia alimentar e consequentemente reduzido a quantidade de alimento para estes animais, enfim, a lista de motivos é enorme. 

Apesar de não serem comumente encontrados no litoral brasileiro, pois preferem águas frias, orcas já foram avistadas no litoral brasileiro. Mesmo não sendo da nossa fauna, cabe a todos nós, não somente mergulhadores, conhecer e preservar. Sem contar que você pode incluir na sua lista de mergulhos a fazer: mergulhar com orcas. 



Fonte:
https://english.netmassimo.com/2018/10/11/a-new-genetic-project-to-save-the-pacific-northwest-orcas/
http://www.blackfishmovie.com/
https://www.scubadiving.com/sea-watch-orcas

domingo, 24 de fevereiro de 2019

Por que fazer um curso de Nitrox?

Depois de terminar um curso de mergulho básico (Open Water) pela PADI, surgem várias dúvidas: o que fazer agora? Sigo mergulhando sem fazer outros cursos? Faço logo tudo quanto é curso que aparecer pela frente? Que cursos devo fazer?

Teremos uma série de posts sobre que caminhos trilhar uma vez que você terminou o curso básico. Um primeiro post sobre a diferença entre Dive Master e Master Scuba Diving já foi publicado no começo desse mês. Mas essas duas certificações são objetivos a se atingir, mais do que caminhos a serem trilhados. Passo a passo, curso a curso, vamos apresentar quais são as opções e o que você pode fazer mesmo antes de decidir se você quer seguir no recreacional ou se você quer se tornar um profissional do mergulho.


Este post é sobre o Curso de Nitrox (enriched air diver) ou por que você deveria se interessar e procurar mergulhar com Nitrox.

Mas o que é o "nitrox"? Como o nome sugere é uma mistura de nitrogênio e oxigênio, que contém um percentual maior de oxigênio do que o ar que nós normalmente respiramos tanto na superfície quanto nos cilindros de ar comprimido e que basicamente serve para facilitar uma menor absorção de nitrogênio. De forma mais comum, o termo "nitrox" se refere a qualquer combinação que contenha oxigênio acima de 21% mas não acima de 40%. Durante o curso você aprenderá a diferença entre os tipos de EAN como o 32 e 36, bem como tirar o máximo de proveito dessa habilidade dentro dos padrões de segurança. Mas quais são as vantagens de usar nitrox ao invés de ar comum?

Um dos principais benefícios para o uso do ar enriquecido (o nitrox) é que ele estende os seus limites não descompressivos para além daqueles oferecidos pelo ar normal. Como consequência, o seu tempo de fundo é aumentado e reduz a carga geral de nitrogênio em mergulhos múltiplos. 

Ou seja, se você estiver viajando e tiver poucos dias para fazer todos os mergulhos que quer, mergulhar com nitrox é a melhor opção. Você pode fazer mais mergulhos sucessivos e aproveitar melhor o seu tempo. Se você pretende viajar e mergulhar, se organize para fazer um curso de Nitrox antes de ir para poder aproveitar ao máximo! Na verdade, é um curso rápido de se fazer e que oferece muitas vantagens quando viajando. Então, não precisa esperar pela próxima viagem para fazer o curso! 

Para fazer o curso de Enriched Air Diver pela PADI não há necessidade de ter curso avançado, pois você pode querer fazer múltiplos mergulhos mesmo a pouca profundidade. Os pré-requisitos são ter curso básico (Open Water) e no mínimo 12 anos. Mais informações no site.


Fonte:
https://www.padi.com/ja/node/1306
https://www.leisurepro.com/blog/scuba-guides/benefits-diving-nitrox/

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Os riscos de um batismo: o barato que pode sair caro

Batismo na Lagoa de Itarema
Num país como o Brasil, com mais de 7 mil km de costa, era inevitável que o mergulho se popularizasse e se tornasse uma opção em várias praias do nosso litoral. No entanto, com a popularização também vieram vários riscos.

O termo batismo no mergulho é quando uma pessoa que nunca fez um curso de mergulho recebe instruções básicas e faz um mergulho acompanhada de um dive master ou instrutor. O problema é que em muitos lugares, não somente no Brasil, mas no mundo, pessoas não certificadas fazem os batismos colocando em risco a vida das pessoas. É a famosa situação em que o barato pode sair caro...e custar sua vida.

Mas quais são os riscos?

Para muitos, um mergulho "raso" parece não apresentar risco algum. Quando a profundidade é de cerca de 6 metros ou menos, a maioria das pessoas relaxa e não se preocupa em exigir certificações ou de investigar a operadora ou pessoa com quem vai fazer o mergulho. O que a maioria esquece é que mesmo uma profundidade de apenas dois metro já apresenta alguns riscos para o mergulhador não preparado. O mergulho é um dos esportes mais seguros que existe, mas se não forem respeitados os limites de profundidade e tempo de fundo a pessoa não somente pode se machucar seriamente, mas coloca sua vida em risco.

Mergulhador exibindo dores de cabeça após
realizar um mergulho sem as paradas de
segurança. 
Pessoas que se dizem instrutores de mergulho oferecem batismos a preços muito menores que um mergulhador certificado. E quem resiste a uma boa pechincha? Mas quando se trata da sua saúde você deveria. Quando optar por fazer um batismo peça a certificação da pessoa que vai com você. Pergunte que curso ele ou ela fez. Peça referências a outras pessoas. E nunca ache caro (o valor que seja) pagar por um profissional devidamente qualificado quando se tratar da sua segurança.

Quem já pulou numa piscina funda deve lembrar de ter sentido dorzinha de cabeça na parte frontal logo acima ou ao redor dos olhos. Nessa região do nosso corpo há ar e quando esse ar é comprimido quando mergulhamos sentimos dor. Essa situação é para ilustrar o que acontecesse com nosso corpo quando mergulhamos. Da mesma forma que a poucos metros já há compressão do ar, quanto mais fundo vamos mais perigoso essa compressão vai ficando. Sem as orientações adequadas, ar pode ficar preso no nosso corpo em diversos locais causando desde problemas "leves" como uma coceira subcutânea até problemas sérios como paralisia ou morte.

Batismo realizado na Lagoa de Itarema
Outra situação é que muitas dessas empresas que se dizem "operadoras" de beira de praia, além de não terem alguém certificado para garantir a segurança de quem faz o batismo, usam equipamentos de baixa qualidade e/ou sem a devida manutenção. Os equipamentos de mergulho são a peça chave para garantir a sua segurança quando debaixo d'água. Sem usar os equipamentos adequados ou sem a devida manutenção coloca-se a vida em risco.

Então fique atento a quem você confia sua vida.

Quando em Fortaleza, procure a Mar do Ceará para um batismo no mar ou no local mais procurado: Itarema! Para maiores informações entre em contato!

Fonte:

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Master Scuba Diver e Dive Master: qual a diferença?


Provavelmente você já ouviu o termo "Dive Master". É possível, também, que um Dive Master tenha participado do seu curso ou você tenha encontrado com um ou vários ao longo dos mergulhos. Mas e o termo "Master Scuba Diver"? Você já ouviu falar? Essas duas classificações da PADI têm nomes semelhantes e atribuições bem diferentes. Vamos saber um pouco mais.

As duas denominações indicam mergulhadores com muita experiência e treino. Apesar das similaridades entre os nomes, tornar-se um Master Scuba Diver é bem diferente de se tornar um Dive Master.  Começando pela idade. Pois você pode se tornar um Master Scuba Diver bem jovem, sendo a idade mínima para isso de 12 anos, enquanto um Dive Master tem que ter no mínimo 18 anos.


Menos de 2% dos mergulhadores se tornam Master Scuba Divers fazendo deles um grupo de elite. Os Dive Master geralmente ajudam em aulas e operações de mergulho, ou sejam, trabalham com mergulho fazendo deles profissionais do mergulho. 

Alguns cursos ao longo do caminho são similares. As duas modalidades pedem o curso avançado (certificado de Advanced Open Water Diver) e de resgate (Rescue Diver) sendo que no caso do Master Scuba Diver pode ser a modalidade Junior desses cursos. Veja mais abaixo:

Master Scuba Diver
  • ao menos 12 anos de idade (12-14 anos com Junior MSD)
  • certificação PADI (Junior) Advanced Open Water Diver
  • certificação PADI (Junior) Rescue Diver
  • ter cinco certificações PADI Specialty Diver
  • ter logado no mínimo 50 mergulhos
  • completar o formulário para ser um Master Scuba Diver


No caso do curso para Dive Master, há uma série de pre-requisitos, que devem ser cumpridos antes de iniciar o curso.

  • ter ao menos 18 anos
  • certificação PADI Advanced Open Water Diver
  • certificação PADI Rescue Diver
  • ter completado o EFR Primary and Secondary Care nos últimos dois anos
  • declaração médica atestando apto a mergulhar
  • 40 mergulhos logados antes de começar o curso


E para completar o curso é necessário ter 60 mergulhos logados quando terminar.

E ao longo do curso é necessário completas oito das seções Knowledge Development; passar o exame final para Dive master; passar nos exercícios de habilidades dentro da água e atividades práticas.

Independente do que você desejar do mergulho, quer seja recreação ou trabalho, aprimorar suas habilidades é sempre uma ótima ideia. Sendo assim, o que serve para você? Se tornar um Scuba Dive Master ou um Dive Master? Procure a escola de mergulho mais próxima, ou se você estiver em Fortaleza procure a galera da Mar do Ceará para maiores informações.


Fonte:
https://www2.padi.com/blog/2015/05/12/whats-the-difference-between-padi-master-scuba-diver-and-divemaster/
https://www.abyss.com.au/diving/2016/06/what-is-the-difference-between-a-padi-master-scuba-diver-and-a-divemaster/

sábado, 26 de janeiro de 2019

Macau: tripulantes passavam por dificuldades antes do naufrágio

Tripulantes do navio mercante Macau em 1954. Este navio afundou em Aracati poucos anos após esta reportagem


Em matéria do jornal carioca Imprensa Popular de 18 de setembro de 1954 os tripulantes do navio mercante Macau que viria a afundar no litoral aracatiense em dezembro de 1961, reivindicam seus salários à Companhia de Navegação São Jorge, sediada no Rio de Janeiro e proprietária da embarcação.
"Os tripulantes do navio 'Macau', de propriedade da Companhia de Navegação São Jorge estar à quatro meses e 17 dias sem receber vencimentos. Atravessam situação a mais difícil, pois são pais de famílias numerosas, que lhes têm escrito várias cartas reclamando até falta de alimentação. Um deles o marinheiro Francisco Cruz, é pai de 10 filhos.
Os marítimos, segundo nos informou uma comissão constituída pelos srs. Pedro Lucas dos Santos, Manuel Belo Marinho e Antônio Pedro da Silva, que veio, ontem, à nossa redação já se entenderam com o diretor da empresa, o qual se limitou a dizer que o "Macau" viajará por êstes dias para o Rio Grande do Sul com um grande carregamento, e que talvez na volta haja pagamento. No entanto - frisou - Isto só será possível se fôr conseguido um empréstimo de dinheiro que estamos tentando obter. - Inquirido pelos trabalhadores sôbre o caso de não ser conseguido o empréstimo, o diretor respondeu que a emprêsa irá a falência.
Tal afirmação representa um possível esbulho já em organização contra os marítimos. a emprêsa indo a falência, ficarão de vez sem seus vencimentos. Daí, portanto, ter a tripulação do 'Macau' solicitado providências ao sindicato dos marinheiros."


Fonte
Jornal Imprensa Popular, Rio de Janeiro, 18 de setembro de 1954.

Veja também