segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Dia Mundia da Limpeza


Há dez anos nascia o movimento Let's do it! um movimento de limpeza para conscientizar as pessoas sobre o descarte de materiais em locais indevidos. Pouco a pouco o mundo foi aderindo e hoje cerca de 150 países fazem parte. No Brasil, quase todos os estados aderiram e foram mais de 360 cidades participando do evento que ocorreu no último sábado, 15 de setembro.
Concentração no Beach Park para a limpeza pela praia.

A Mar do Ceará não podia ficar de fora. E em parceria com o Beach Park foi organizada uma limpeza subaquática contando com a participação de cerca de 16 mergulhadores dos mais diversos níveis de certificação. A concentração ocorreu na área do parque e de lá os grupos dispersaram. A maior parte foi para a areia e os arredores do parque, enquanto os mergulhadores se dirigiram para o estuário do rio Pacoti.


O estuário do Rio Pacoti fica na praia de Cofeco, Fortaleza, Ceará. Para realizar a limpeza no estuário a Mar do Ceará mobilizou cerca de 16 mergulhadores, todos voluntários nos mais diversos níveis de certificação, desde iniciantes a dive masters. Houve o apoio de um jet ski, para recolher lixos maiores (um pneu por exemplo) como já foram encontrados.

A visibilidade não estava muito boa nesta ocasião, mas ainda assim os mergulhadores conseguiram tirar alguns sacos de lixo. A maior parte do lixo consistia em plástico. Muitas sacolas plásticas, garrafas e tampas e alguns pedaços de plástico.

A ação durou a manhã quase toda. Os mergulhadores, em dupla, percorreram a margem do estuário, por cerca de 30 metros. Muito lixo fica preso nas raízes das árvores de mangue ou nas pedras que margeiam o rio. A pouca visibilidade dificultou a ação e menos do que o que se esperava foi coletado.

Mas fica a mensagem: precisamos repensar o uso de plástico. Principalmente o plástico descartável e de uso único, como as sacolas. Esses materiais geralmente correspondem a maior parte do lixo coletado em ações como essa. Além disso, refletir sobre o que não se pode ver. O estuário encontra-se relativamente longe de aglomerados urbanos e ainda assim a quantidade de lixo é enorme. Não é porque não se vê que não machuca. O lixo que produzimos está por aí. É hora de repensar e reduzir!

Até o próximo ano, quando a ação se repetir e com certeza contar com a adesão de mais pessoas, mais cidades, vamos refletir sobre nossas escolhas. A única maneira de resolver de vez o problema do lixo é reduzir, repensar nossas escolhas todos os dias. Recusar a sacola plástica, a luva plástica, adotar um copo e usar o mesmo copo o máximo de vezes possível.


Nenhum comentário:

Postar um comentário