quinta-feira, 12 de agosto de 2010

“Macura e o Homem Branco” - Uma Lenda Cearense


Macura e o Homem Branco” - A Lenda



(lenda da tradição oral transcrita por um nativo da comunidade de Ponta Grossa, CE)

No ano de 1492, o acesso não era fácil ao local onde atualmente se localiza a vila de Ponta Grossa, o mesmo era cheio de obstáculos quase impossível.  A chegada dava-se pela praia do Retiro Grande e/ou Areia Branca no Rio Grande do Norte.
Num determinado dia aparecera um homem branco na costa do litoral cearense procurando água para saciar sua sede e um abrigo para ali permanecer. Ao chegar em Ponta Grossa observou de imediato que o lugar era ideal para abrigar-se, porém, viu que havia rastros de pessoas e constatou que se tratava de uma tribo de índios de nome “Jabarana”.
Passados exatamente cinco dias na região ele tentou comunicar-se com uma índia que vinha pegar água para beber nos olheiros (nascentes) jorrantes que brotavam ao sopé das falésias.
Meses depois passaram a conhecer-se, era o inicio de uma grande paixão entre o homem branco e a índia Macura. Macura dizia-lhe constantemente que ele não se aproximasse de sua tribo. Após alguns dias o destino do homem branco estava traçado, acontecera que ele ficara doente e devido a sua enfermidade a tribo Jabarana descobriu sua existência naquela comunidade e não o aceitaram entre sua tribo e o mataram. 
Os Jabaranas não sabiam o que os esperava, a índia Macura estava esperando um filho do homem branco, que ela tanto amara. O curumim passou a viver no seio da sua tribo como se fosse um indígena.
No ano de 1599, aconteceu a invasão Holandesa – ao desembarcarem nessa costa chegaram até a tribo Jabarana onde encontraram, entre os índios, um loiro branco que falava somente a língua nativa tupi-guarani.


Texto e Imagem cedidos por Ricardo Arruda

Nenhum comentário:

Postar um comentário