quarta-feira, 26 de março de 2014

Clean Up - Operação de Limpeza na Pedra da Risca do Meio

Linhas de nylon e outros resíduos de pesca retirados do Parque Estadual Marinho
Para abrir a temporada de mergulho a equipe do Mar do Ceará aproveitou um curso de Mergulho Profundo Deep Diver PADI para realizar uma limpeza no coração do Parque Estadual Marinho da Risca do Meio.

No início deste mês recebemos quatro servidores da Secretária do Meio Ambiente do Maranhão para realizar treinamento em mergulho profundo e primeiros socorros a fim de incrementar o poder de atuação do órgão visando principalmente a fiscalização do Parcel do Manuel Luís em seu Estado. Nos primeiros mergulhos observamos uma grande quantidade de resíduos de pesca poluindo a Pedra da Risca do Meio. Decidimos que algo deveria ser feito!

Cardume de Parú-Branco
na Pedra da Risca do Meio
A Pedra da Risca do Meio é o coração do Parque Estadual Marinho que é batizado com este mesmo nome. O PEM da Pedra da Risca do Meio se localiza em alto mar à cerca de 18km do Porto do Mucuripe. Trata-se de uma área de preservação delimitada em carta náutica com cerca de 33 km2 onde não é permitida a pesca industrial, a caça submarina, o fundeio de grandes embarcações, a limpeza de porões de navios, etc. Nesta grande área existem diversos pontos submersos marcados através de GPS onde são extremamente favoráveis a prática de mergulho autônomo mostrando uma vida marinha exuberante. 

Apesar de a pesca industrial e da caça submarina não serem permitidas a pesca artesanal é, o que resulta em um grande acumulo de resíduos desta prática. O pescador posiciona sua linha de nylon munida de azol e chumbada, o peixe morde a isca, é fisgado e tenta fugir. Nesta fuga a linha se enrosca em uma esponja ou pedra e o pescador não consegue recolhe-la, descartando-a no mar. Perde-se assim o peixe, a linha a chumbada... O anzol é rapidamente degradado pelo ambiente, mas o nylon e o chumbo podem levar centenas de anos para se decompor. As linhas soltas enroscam-se outras esponjas e corais promovendo um grande impacto no ambiente.

Nossa equipe decidiu retirar o que pudéssemos desses resíduos. Aproveitamos os últimos mergulhos do nosso treinamento e, munidos de facas e sacolas, descemos os 24 metros que separam os corais da superfície e iniciamos o corte e remoção dos materiais. Fizemos dois mergulhos de aproximadamente 30 minutos cada e retiramos cerca de 5 kg de resíduos.

Carretilha de PVC com Nylon

Chumbadas

Linhas de Nylon
Dias depois retornamos ao mesmo ponto com a mesma finalidade: finalizar o trabalho iniciado anteriormente e outros 5 quilos de resíduos de pesca foram removidos do coração do Parque Estadual Marinho da Pedra da Risca do Meio.

3 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa! Caso haja interesse em escrever um artigo sobre o assunto, aproveitando o material de vocês, entrem em contato. Aloha,
    Prof. José Renato César
    Depto. Eng. de Pesca/UFC
    renatocesarufc@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Renato! O material já foi descartado! Temos as fotos e se for interessante, estamos à disposição.

      Abs

      Excluir
  2. Muito bom trabalho!!! Parabens!

    ResponderExcluir